Escolher bem as amizades

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Para Francisco e Inês
1 - Saudações e objectivo
Em nome de Jesus Cristo crucificado e da amável Maria, caríssimos filhos no doce Cristo Jesus, escrevo-vos no Seu precioso sangue, desejosa de vos ver com perfeita iluminação, para que persevereis na virtude até à morte.

2 - Evitai as más amizades
Sem a iluminação divina, caminhareis nas trevas e não conhecereis a verdade; e as coisas doces vos parecerão amargas e as amargas, doces. Mas com essa iluminação, seremos prudentes e evitaremos tudo o que pode diminuir em nós a virtude e o amor desinteressado pelo Criador.

Com essa iluminação, veremos como é perigosa a convivência com pessoas que vivem sem o temor de Deus, pois tal convivência será a base da nossa ruína espiritual. Convivência desse género torna insensível a consciência, diminui a vida de oração, acaba com a abstinência e o fervor, aumenta o amor pelos vãos prazeres mundanos, rouba-nos a santa humildade, elimina a honestidade, desperta os sentimentos materiais, cega a nossa inteligência, como se a pessoa jamais tivesse conhecido o Criador.

Dessa maneira, aos poucos, a pessoa despreocupa-se e transforma-se de anjo terrestre em demónio infernal. E onde ficou a pureza que costumavas ter? Onde o desejo de sofrer por Deus? Onde ficaram as lágrimas que costumavas derramar diante de Deus na oração humilde e contínua? Onde a caridade fraterna, que demonstravas por todas as pessoas? Nada restou, porque o diabo a furtou através dos falsos amigos.

3 - Procurai boas amizades
Caríssimos e bondosos filhos, não quero que isso aconteça convosco. Que a vossa convivência seja com pessoas que temam e amem a Deus realmente. Elas aquecerão toda a frieza dos nossos corações e, com raciocínios sobre Deus, lembrando-nos a Sua bondade e o Seu amor, amolecerão a dureza deles. Uma coisa ilumina a outra, quando se procura o ensinamento de Cristo crucificado e a vida dos santos. Os sentimentos materiais são superados.

Mediante uma santa modéstia, a pessoa pratica a humildade e a sua irmã, a pequenez, que a fazem desprezar-se a si mesma. Eis o que provém, em pouco tempo, da convivência com os servos de Deus, como acontece também para o mal da convivência com os escravos do mundo.

Por isso diz o Espírito Santo pela boca do profeta: "Tu serás santo com os santos, inocente com os inocentes, eleito com os eleitos e perverso com os perversos" (cf. Sl 18,26-27). Quero, pois, que presteis grande atenção à convivência com os servos e servas de Deus, para fugir da convivência com outros e outras que o não são, como do fogo.

Desconfiai de vós mesmos, ao dizer: "Eu sou forte, não tenho medo de que estes me façam cair". Por amor de Deus, não penseis assim! Com humildade, reconheçamos que, se Deus não nos sustentar, seremos demónios encarnados.

Tenho certeza de que, se tiverdes a iluminação divina na presente situação e em tudo, cumprireis a vontade de Deus e o meu desejo. De outro modo, não! Por isso afirmei que desejava ver-vos perfeitamente iluminados.

4 - Conclusão
Estando com pressa, nada mais acrescento. Permanecei no santo e doce amor de Deus. Jesus doce, Jesus amor.


(Santa Catarina de Sena, cartas completas, carta 190; Editora Paulus – Tradução: Frei João Alves Basílio O. P)

Amizades com os ímpios jamais; mas com os que amam a Deus, ainda que não estejam tão bem posicionados como deveriam na defesa da Igreja, sim. Porque a Deus nada é impossível.

2 comentários:

Versos Inversos disse...

Muito bom o post. Eu irei copiar para meu blog, ok?

Pâmela disse...

Olá Salve MAria!
Pode sim tudo para a evangelização.

Postar um comentário